Entre paralelepípedos

paralele

Para os olhos do mundo, era só uma rua de paralelepípedo.
Só um trajeto simples para chegar ao destino. Nada demais.
Por que então meus olhos gotejam como a chuva que bate no vidro do carro?
Porque a saudade aperta… porque aquela rua de paralelepípedo me lembra você.
Lembra-me nossa amizade e o quanto era bom ir buscá-la para um almoço ou um bate-papo em qualquer boteco.
“Boteco não!”, você diria, “Eu lá sou mulher de boteco?”.
Saudade de seu humor, de seus ditados populares, de nossas risadas juntas.
Aquela era só uma rua de paralelepípedo em dia de chuva, mas também era você, ali na esquina, sorrindo para mim, viva em minha memória.
Eu não pensava em te encontrar quando entrei naquela rua, mas foi muito bom te rever.

 

Publicação original no Scribe (18 de fevereiro de 2015).
Imagem disponível em: <https://tecparpavimentos.files.wordpress.com/2013/11/paralele.jpg&gt;. Acesso em: 17 de maio de 2016.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s