É de pequenino que se torce o pepino

12970911_800396320092676_4837722558504907853_o

Você certamente já ouviu o ditado “é de pequenino que se torce o pepino”. Pois bem, isso vale para o bem ou para o mal, os hábitos que a criança adquire e os exemplos que ela tem serão levados para sua vida adulta, por isso é importante ser vigilante e estimular adequadamente os pequeninos.

É sabido que é muito importante estimular a criança, desde pequena, a ter contato com os livros e estórias para que ela cresça e se torne um leitor e usufrua dos tantos benefícios que a leitura proporciona.

Para isso, é necessário e recomendável que a criança tenha, desde muito cedo, o contato com os livros e faça do momento da leitura um momento de diversão.
Minha sugestão é montar uma pequena biblioteca para a criança (e que fique a seu alcance), na qual ela poderá escolher o livro que deseja “brincar” ou qual estorinha quer ouvir antes de dormir.

Existem ótimos livros infantis e, cada vez mais, amplia-se esse mercado. Alguns livros são de plástico e podem ser levados para o banho… Ideias e sugestões para estimular os pequeninos não faltam.

Minha irmã está grávida e acabamos de saber que é uma menininha. Como tia leitora voraz que sou (cujo hábito da leitura se instalou na infância) já comecei a pensar na biblioteca da pequena e já encontrei alguns títulos interessantes cuja personagem tem o mesmo nome escolhido para ela.

Minha intenção é montar uma biblioteca aqui em casa, que tem um cômodo dedicado apenas aos livros e à leitura. Mas, como é importante que minha sobrinha tenha um contato frequente com seus “livros brinquedos”, tive a ideia de tornar essa biblioteca itinerante, adquirindo uma mala colorida ou com temas infantis de rodinhas e tamanho pequeno, que poderá ser facilmente levada de uma casa para outra com alguns dos títulos escolhidos “para passear”. Fica fácil de guardar (sob a cama ou em cima do armário) e pode ir e vir sem nenhuma dificuldade.

É também fundamental ensinar a criança a cuidar de seus livros, assim como de seus brinquedos, não os deixando espalhados e tomando cuidado para que não estraguem.

Desde cedo a criança vai adquirindo a responsabilidade de zelar por suas coisas. No entanto, é claro, precisamos dosar para que essa responsabilidade não seja excessivamente rigorosa. É preciso deixar que a criança manuseie os livros, que interaja com eles (fazendo anotações ou desenhos, se for o caso), mesmo que ela não tenha muito cuidado inicialmente e que algumas páginas fiquem amassadas.

A propósito, esse é um ponto que os adultos também devem pensar. Livros são feitos para serem lidos e não enfeites na estante ou objetos de decoração da sala. Não precisamos segurá-los como se estivéssemos segurando uma joia. Eles de fato são, mas não devemos cultivar um excesso de zelo e apego neurótico por esse objeto encantador cuja função é trazer prazer e conhecimento.

Publicação original no Jornal 100% Vida em agosto de 2015 e no Scribe (25 de agosto de 2015).
Imagem de Laurinha conhecendo o livrinho feito em sua homenagem, arquivo da autora.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s